Granada encontrada em avenida de Livramento originalmente era de efeito moral

0
31

Uma granada foi encontrada em via pública em Sant’Ana do Livramento durante o último fim de semana. O artefato estava jogado no meio da Rua Júlio de Castilhos, na área central. O objeto explosivo foi avistado por moradores no final da noite onde avisaram no quartel do 10º Batalhão de Bombeiros Militares sobre a possível existência de um artefato explosivo. O Corpo de Bombeiros foi o primeiro órgão a chegar ao local e constatou que poderia ser realmente um material explosivo, isolando um quarteirão da avenida e acionando a Brigada Militar. A Força Tática rapidamente se deslocou até o local e ajudou a manter curiosos afastados e o local em segurança.

Segundo informou o Major Silveira, comandante do 2º RP Mon da Brigada Militar, o Sargento Auxiliar de Serviço Externo e uma guarnição da Força Tática constataram que se tratava de uma granada do tipo de luz e som, conhecida também como de efeito moral, entretanto um artefato explosivo, e então foram iniciados os protocolos necessários.

A BM acionou o Batalhão de Operações Especiais (Bope) de Porto Alegre, onde o grupo de ações táticas, preparado para lidar com explosivos, foi deslocado para a Fronteira da Paz ainda durante a madrugada.  O sargento Tiago da Força Tática de Livramento afirmou que a granada de luz e som é a mesma utilizada pelo Choque, não feita para disparar estilhaços. Porém, o policial salientou que as forças de segurança não sabiam sua procedência, nem se ela havia sido adulterada ou não.

A unidade do Bope levou pouco menos de cinco horas para chegar ao local. Os policiais avaliaram o artefato explosivo, realizaram a sua condução até um local mais afastado das residências da avenida, fizeram uso controlado de explosivos para detonar a granada de maneira segura. Caso não fosse possível a explosão controlada, a equipe do BOPE já estava com outras formas de atuação prontas para emprego. A granada, que era um artefato verdadeiro, foi desmantelada com sucesso por parte da equipe.

Populares descreveram aos policiais que foram ouvidos pelo menos quatro tiros e ruídos de carros em alta velocidade, antes de a granada ser encontrada na Júlio de Castilhos. A suspeita é de que o artefato tenha sido lançado durante uma briga de quadrilhas. O caso será investigado agora pela Polícia Civil.

Foto: Jaderson Alves

Deixe um comentário